domingo, 12 de setembro de 2010

Capoeira



Colégio Estadual Rotary
Turma: 3º G
Nomes: Ariele Santos
Ana Carolina
Geise Santos
Grimaldo
Luana Carmo

Profª Ademilde

História da Capoeira
Origem da palavra capoeira, cultura afro-brasileira, luta, funções sociais, como começou a capoeira, proibição, transformação em esporte nacional, os estilos.
O que é Capoeira
O QUE É CAPOEIRA E COMO ELA CONTRIBUI COM A SOCIEDADE

A Capoeira é música, poesia, festa, brincadeira, cultura, folclore, teatro, disciplina, esporte, diversão, integração e uma forma de luta, manifestação e expressão de um povo oprimido em busca da sobrevivência, liberdade e dignidade.

Cada vez mais, a capoeira é introduzida na nossa sociedade como um instrumento educacional. Ela desenvolve a criatividade, expressão, coordenação, respeito, disciplina, e além de fazer bem para o corpo, a capoeira também faz bem para a mente. Crianças e adolescentes desenvolvem desde cedo a sua coordenação corporal e mental, resgatando a nossa herança cultural.

A Capoeira é um fenômeno nacional, é a expressão de uma síntese de gestos e movimentos que caracterizam a nossa herança africana. Dela, pouca informação acadêmica e histórica foi constituída, se consideramos o conjunto de pesquisas realizadas no Brasil a respeito da memória social brasileira.

Porém, na Capoeira, a natureza oral e corporal da memória do povo brasileiro nos remete aos anais da história do Brasil, à escravidão, às lutas de libertação dos negros e ao sofrimento e aspirações do povo, desde o descobrimento até os nossos dias, nos leva aos projetos de resgate da identidade nacional.

Este argumento adquire sentido, quando admitimos que a capoeira tem o seu papel na sociedade. E, a Associação Cultural e Esportiva Capoeira Escravidão cumprem este papel, levando a capoeira a escolas, eventos e confraternizações. Estamos presentes no Parque Regina, Jardim São Roque, Capão Redondo Campo Limpo, Jd. São Luiz S. Amaro etc., dando oportunidade às crianças e adolescentes de nossa sociedade de praticar uma atividade que acrescentará qualidades, tanto no seu caráter quanto na sua forma física.

A Capoeira contribui para o desenvolvimento de uma sociedade melhor. Por isso é com o apoio da nossa sociedade que realizamos este trabalho.

Raízes africanas
A história da capoeira começa no século XVI, na época em que o Brasil era colônia de Portugal. A mão-de-obra escrava africana foi muito utilizada no Brasil, principalmente nos engenhos (fazendas produtoras de açúcar) do nordeste brasileiro. Muitos destes escravos vinham da região de Angola, também colônia portuguesa. Os angolanos, na África, faziam muitas danças ao som de músicas.
No Brasil
Ao chegarem ao Brasil, os africanos perceberam a necessidade de desenvolver formas de proteção contra a violência e repressão dos colonizadores brasileiros. Eram constantemente alvos de práticas violentas e castigos dos senhores de engenho. Quando fugiam das fazendas, eram perseguidos pelos capitães-do-mato, que tinham uma maneira de captura muito violenta.

Os senhores de engenho proibiam os escravos de praticar qualquer tipo de luta. Logo, os escravos utilizaram o ritmo e os movimentos de suas danças africanas, adaptando a um tipo de luta. Surgia assim a capoeira, uma arte marcial disfarçada de dança. Foi um instrumento importante da resistência cultural e física dos escravos brasileiros.

A prática da capoeira ocorria em terreiros próximos às senzalas (galpões que serviam de dormitório para os escravos) e tinha como funções principais à manutenção da cultura, o alívio do estresse do trabalho e a manutenção da saúde física. Muitas vezes, as lutas ocorriam em campos com pequenos arbustos, chamados na época de capoeira ou capoeirão. Do nome deste lugar surgiu o nome desta luta.

Até o ano de 1930, a prática da capoeira ficou proibida no Brasil, pois era vista como uma prática violenta e subversiva. A polícia recebia orientações para prender os capoeiristas que praticavam esta luta. Em 1930, um importante capoeirista brasileiro, mestre Bimba, apresentou a luta para o então presidente Getúlio Vargas. O presidente gostou tanto desta arte que a transformou em esporte nacional brasileiro.

Três estilos da capoeira
A capoeira possui três estilos que se diferenciam nos movimentos e no ritmo musical de acompanhamento. O estilo mais antigo, criado na época da escravidão, é a capoeira angola. As principais características deste estilo são: ritmo musical lento, golpes jogados mais baixos (próximos ao solo) e muita malícia. O estilo regional caracteriza-se pela mistura da malícia da capoeira angola com o jogo rápido de movimentos, ao som do berimbau. Os golpes são rápidos e secos, sendo que as acrobacias não são utilizadas. Já o terceiro tipo de capoeira é o contemporâneo, que une um pouco dos dois primeiros estilos. Este último estilo de capoeira é o mais praticado na atualidade.

História da Capoeira em Itapuã

Foi em Itapuã comunidade de Pescadores remanescentes de Índios e Quilombolas na Orla marítima de Salvadr que surgiu O Centro Cultural Vadiação Capoeira uma entidade que desenvolve trabalhos voltado para o social, liderado pelo Contramestre Biriba que tem como objetivo difundir a Capoeira, preservando seus princípios, fundamentos e tradições.
O grupo foi fundado em 22 de Abril de 2001, no Centro Esportivo e Cultural Armindo Biriba (sede do grupo) em Salvador, hoje o grupo tem filiais em cidades como Uruçuca, Itabuna, Piraí do Norte e Coração de Maria no estado da Bahia, Rio de Janeiro - RJ e em alguns Países como Estados Unidos, Japão, Romenia e Espanha. O grupo conta com uma equipe de Professores, Instrutores, Formados e Estagiários que estão responsáveis pelo desenvolvimento destes trabalhos em outras localidades sob a supervisão do Contra-Mestre André Biriba.



Grupos Culturais de Itapuã
• Bando de Papel
• Camugerê
• Crianças Raízes do Abaeté
• Espaço Verde
• Kirubê
• Malê Debalê
• Naiecô Capoeira
• Vadiação Capoeira


Bibliografia:

http://www.suapesquisa.com
http://vadiacaocapoeira.blogspot.com/
http://ganhadeirasdeitapua.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário